terça-feira, 18 de junho de 2013

Resenha: "Jogos Vorazes" - Suzanne Collins

Título original: The Hunger Games
Autora: Suzanne Collins
N° de páginas: 400
Editora: Rocco
A história se passa em uma América do Norte futurista, mais especificamente em um país chamado Panem, o qual é divido em 12 distritos. Originalmente era composto por 13 distritos, porém, após uma revolução o 13° distrito foi dizimado e, como consequência foram criados os Jogos Vorazes. Os jogos nada mais eram que uma demonstração de poder e uma forma de controlar possíveis revoltas, eles consistiam na escolha de um casal de jovens entre 12 e 18 anos de cada distrito, os quais eram mandados para uma arena onde deviam lutar até a morte. Como as diferenças entre os distritos eram absurdamente grandes, as vantagens entre os competidores também eram. Os distritos mais ricos treinavam seus jovens antecipadamente, dando-lhes maiores condições físicas e psicológicas, enquanto que os de distritos menos abastados lutavam para sobreviver. A história é narrada em 1° pessoa pela protagonista Katniss Everdeen, a qual pertence ao distrito 12. No começo do livro nos é contado sua forma de vida que, por meio da caça e venda ilegal, sustenta sua mãe e irmã. O começo do livro é meio lento por causa disso, mas a partir do processo de colheita daquele ano as coisas começam a ficar mais interessantes. Com a escolha de sua irmã, Prim, Katniss se vê desorientada e, num ato desesperado, se voluntaria para participar nos jogos no lugar de sua irmã. Junto com o tributo masculino do 12, Peeta Melark, Katniss é mandada para a capital, onde é esteticamente “reformulada” e passa por um curto treinamento. Na arena, os dois se separam e nos é mostrado as táticas e alianças que cada um dos competidores usam, com um enfoque maior, é claro, na Katniss. A autora foi muito feliz em construir uma personagem tão forte e contrária aos moldes da Capital como a Katniss, pois a impulsividade e naturalidade de seus atos foi o que acabou abrindo os olhos da população para o modo inescrupuloso com que a Capital comandava. 

~Marcos   
Postar um comentário