segunda-feira, 8 de julho de 2013

Resenha: "Bruxos e Bruxas" - James Patterson e Gabrielle Charbonnet

Título Original: Witch & Wizard
Autor: James Patterson e 
Gabrielle Charbonet
Número de páginas: 267
Editora: Novo Conceito
Bruxos e Bruxas é o lançamento do momento da Novo Conceito; e a editora tem investido bastante em publicidade com ele, o que me chamou bastante a atenção, então fui todo animado comprar meu livro achando que fosse encontrar algo realmente novo e bom. Quando vi que ele vinha com uma jacket então, fiquei mais empolgado ainda. O livro é simples e tem uma leitura extremamente leve, mais leve que o comum em qualquer YA, o que inclusive me lembrou muito a forma de Rick Riordan de escrever.
A história é sobre dois irmãos, Whitford e Wisteria Allgood (ou seja, os irmãos "Tudodebom"), apelidados de Whit e Wisty que nos contam como a Nova Ordem tem dominado a sociedade e como eles vão fazer para derrotá-la.
Tudo começa quando a Nova Ordem, uma ditadura que tomou o poder político, invade a casa dos irmãos e os levam para um tribunal, acusados pelo próprio "O Único que é o Único" - o  maioral da N.O. - de serem bruxos; mesmo tendo a vida inteira acreditado serem simples adolescentes e nunca terem imaginado que magia existia de verdade. 
A partir daí, uma série de coisas terríveis acontecem. Eles descobrem que realmente possuem peculiaridades mágicas, que há uma profecia que supostamente prevê o futuro dos dois, e que eles são fadados a salvar o mundo - e todos os seus "níveis de realidade" - da abominável organização que é a N.O.
Há bastante ação, mas não há muitos fatos, tudo pode ser resumido em poucas linhas, já que metade das páginas está em branco devido à grande quantidade de capítulos desnecessários, e a outra metade contém piadinhas, até que engraçadas, mas que não ajudam em nada no aprofundamento dos personagens. Ainda agora, já tendo terminado minha leitura, não consigo formar uma imagem mental dos personagens, nem física, nem psicológica.
Além da dificuldade com os personagens, a mitologia desenvolvida pelos autores não foi bem construída. No começo o leitor fica totalmente perdido e, depois de certo tempo, as coisas tentam se explicar, mas nada é aprofundado e terminamos o livro bem confusos. Talvez essa superficialidade mútua seja o que mais tenha me frustrado.
Admito que esse é meu primeiro livro lido sob autoria de James Patterson, e estava esperando algo extremamente envolvente, graças à toda sua fama e prêmios, mas o que consegui pelo visto foi bastante azar.
Muitos estão dizendo que a série é muito original, mas para mim isso foi uma grande mistura de Harry Potter, Percy Jackson e Hunger Games. Só pra ter ideia, em certo momento a Wisty é denominada "a garota que pega fogo". E outro em que são perseguidos por seres sombrios que roubam o calor do ambiente e se alimentam da alma dos humanos, isso não lembra um pouquinho dos dementadores? Isso sem comentar da baqueta que é usada como varinha.
Outra coisa que incomodou bastante foi o processo de aprendizado sobre seus poderes, a coisa não aconteceu devagar ou com alguém ensinando eles, simplesmente aconteceu, tipo "Ah, agora eu consigo fazer um garfo levitar".
Mas tudo tem seus dois lados, e mesmo eu tendo me frustrado com todo esse plágio aperfeiçoamento de outras sagas, eu também gostei disso, afinal quem nunca imaginou como seria se uníssemos todos os universos que amamos? Talvez essa tenha sido a intenção do James Patterson, e o desfecho do livro nos deixa muito curiosos, e quero dar uma chance a essa série, até porque muitos primeiros livros não são bons, e o autor demora um pouco para engrenar a história. Agora fico inquieto aguardando o lançamento da sequência.
"Bruxos e Bruxas" é o primeiro livro da série homônima, sucedido por "The Gift", "The Fire" e "The Kiss".

 

Booktrailer:
 ~Rodolfo
Postar um comentário