quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Resenha: Um Motim no Tempo - James Dashner

Titúlo Original: "A Motiny in Time"
Autor: James Dashner
Número de páginas: 239
Editora: Seguinte
   "Um Motim no Tempo" narra a aventuras de Dak Smyth e Sera Froste pelo tempo. Tudo começa quando os amigos Dak e Sera investigam o laboratório particular dos pais de Dak enquanto estes estão viajando e encontram uma invenção inacabada: o "Anel do Infinito", um objeto que depois de terminado teria a capacidade de viajar no tempo e espaço. Sera que é ficcionada por ciências e estuda tudo que encontra sobre o assunto, incluindo física quântica - uma adolescente super comum, claro -, descobre como contruir a peça faltante e conclui o invento. 
   A história começa a ficar agitada assim que eles realizam a primeira viajem, quando os pais dele já voltaram de viagem e decidem fazer um teste. Dak e Sera pegam carona de "penetra" nessa viagem e descobrem que o anel funciona mesmo. Mas quando voltam para sua época, algo dá errado e os pais de Dak se perdem no passado. No instante que reaparecem no laboratório, a porta é arrombada e homens desconhecidos entram e os levam sem dar explicação à uma base subterrânea de uma organização secreta. 
   Brint e Mari, os superiores dessa ordem, expõem a Dak e Sera todo o fundamento e o objetivo dos Guardiões da História, que é corrigir as fraturas e impedir que a SQ - vulgo Guardiões do Tempo - dominem e levem, ao caos, o planeta Terra. As fraturas são como erros na história humana que Aristóteles previu há séculos atrás que ocorreriam, e que foram documentados por seus seguidores desde então. Como consequências a elas dão-se enormes fraturas reais na Terra, que está a beira do Cataclisma. E para provar que as fraturas são reais, ocorrem as Reminiscências, uma falsa memória que causa desconfortos mentais, onde a pessoa sente uma espécie de déjà-vu em que ela pressente que aquele deveria ser o acontecimento real, e não o que está se passando com ela no momento.
   Mas a sede dos Guardiões da História é descoberta e invadida pela SQ, e Dak e Sera tem pouco tempo para se teletransportarem e consertar as fissuras, levando consigo apenas um objeto eletrônico parecido com um tablet denominado SQuare - que eu achei bem criativo - e Riq, um menino de 16 anos poliglota que sabe em línguas, a mesma quantidade de anos que já viveu - ou seja, fala 16 línguas.
   A primeira tarefa que devem cumprir é garantir que Cristóvão Colombo descubra a América antes de ser morto em um motim no seu barco.
Achei a narrativa ótima, o autor tem uma escrita super leve e descontraída, sem piadas forçadas, nem tão rígida. O bacana dessa saga é que cada livro será escrito por um autor, então é necessário para James Dashner deixar livre à criatividade do próximo autor continuar a história. E ele cumpriu muito bem essa tarefa, não aprofundando muito os personagens, apenas o suficiente para o livro ser coeso.
   Como em toda história de viagem no tempo, há muitos paradoxos temporais que devem ser levados em conta, e nenhum foi deixado para trás. Como por exemplo especificar que toda máquina do tempo deve viajar também no espaço, considerando o movimento de translação da Terra e do deslocamento do Sol no universo; o temor de fazer alterações no passado que influenciem o nascimento do viajante em sua época; entre outros.
   O que me deixou um tanto irritado foi a inteligência impossível de dois adolescentes normais menores de 16 anos, tornarem completo um objeto tão poderoso como esse, e ainda fazê-lo propositalmente. Mas levando em conta toda complexibilidade que o autor conseguiu impor em um livro curto de forma tão brilhante, acaba tornando esse acidente irrelevante.
Outra coisa que eu não consegui fazer foi associar o cataclisma a decisões políticas impostas por um governo autoritário, mas espero que nos próximos livros eu possa compreendê-lo.
O livro é sensacional, com uma história super interessante, e de uma complexabilidade perturbadora, sem dúvida nenhuma indico a todos.
A editora Seguinte disponibilizou em seu site oficial o jogo oficial do livro, onde o jogador deve viajar para a Revolução Francesa e impedir que a SQ roube um diamante que terá grande importância política para o destino do mundo. Para jogar, clique aqui.
O segundo livro da série, "Dividir e conquistar, já está disponível em Português, também pela editora Seguinte.

Confira agora o booktrailer caprichado de "Infinity Ring: Um Motim no Tempo":

~Rodolfo
Postar um comentário