segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Resenha: "Sob a Redoma" - Stephen King

Título Original: Under the Dome
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
N° de páginas: 960
Chester's Mills era uma típica cidade americana localizada perto de Maine; até o dia em que ela foi súbita, misteriosa e inexplicavelmente separada do resto do mundo por um tipo de campo de força invisível e indestrutível no formato de uma redoma. Todas as estradas são fechadas. Ninguém entra, ninguém sai. E a trama começa a se desenrolar a partir daí: mostrando as diversas reações das pessoas (e animais) à esta redoma ao redor da cidade. Lendo a sinopse concluiríamos que o enfoque seria na tal redoma o tempo todo, contudo, King tenta de alguma forma voltar-se para a parte humana da história. O que esse fenômeno desencadeou na população da cidade e o que ela está disposta a fazer quando sua segurança e seus segredos são postos a prova. Coisa com a qual ficamos surpresos pois não estamos esperando as coisas acontecerem, elas simplesmente te atropelam durante a leitura. Cada personagem tem seu momento no livro, diria até que o papel de coadjuvante nesse livro foi provido de muito mais importância do que geralmente é. Pois devido ao narrador observador onisciente, os capítulos são bastante dinâmicos em relação à mudança de cena, e os acontecimentos são relatados simultaneamente em vários locais diferentes, o que fica mais fácil de nos remeter a série (onde o produtor executivo é o próprio Stephen King). Embora o final não tenha sido tão desenvolvido e explicado, eu achei o jeito que King amarrou uma ponta na outra muito bacana, o que me fez pensar que compensou bastante os quase 5 meses de leitura pesada e contida, embora cheia de clímaxes aqui e ali, deixando você preso na leitura porque o desfecho se torna um mistério tão grande durante o desenrolar da história que você quer logo pular as partes onde há grandes reflexões focadas nos problemas de governo de Chester's Mills e na inquietação popular que se instaura na pequena cidade. Tudo isso é bem demarcado por personagens elaborados e muitas vezes coniventes. Tais eles como: uma repórter capaz de arriscar a vida se isso lhe render a resolução do mistério que ela investiga; um ex-militar encarregado de salvar o máximo de pessoas possível, o que significa ir contra o poder de um vereador com ego excessiva e involuntariamente inflado e uma fixação constante em uma divindade, sob o pretexto da qual ele justifica tudo o que faz, além de dizer que é para "o bem da cidade". Como eu disse, embora seja intenso, a escrita se arrasta um pouco e demora até que você fique vidrado na história - ao menos comigo foi assim. E, não sei se é um mal só de "Sob a Redoma", mas Stephen King, nos diálogos, acrescentou um vocabulário chulo devido ao teor de alguns personagens, e isso no meu caso desencanta um pouco a leitura. Mas eu compreendi perfeitamente e acabei sim gostando afinal. Valeu muito a leitura. Mas se você se espantar com as 970 páginas do livro, você pode acompanhar a série baseada nele, que conta com um elenco muito bom, embora a história não esteja sendo completamente fiel. No elenco você vai encontrar Mike Voggel (Bates Motel) como Dale “Barbie” Barbara, Rachelle Lefevre (Crepúsculo) como Julia Shumway entre outros. A serie está para começar a segunda temporada, sendo que a primeira já foi um grande sucesso de audiência.

)