quinta-feira, 6 de março de 2014

Resenha: "Vaclav e Lena" - Haley Tanner


Título original: Vaclav and Lena
Autora: Haley Tanner
Editora: Intrínseca
Nº de páginas: 252
Vaclav é um menino russo que veio bem novo para os Estados Unidos com sua família, e Lena uma menina russa que também veio da Rússia com a "família". Pelo menos é o que ela sabia até os 10 anos de idade. Os dois se conhecem na escola e logo tornam-se amigos pela similaridade das histórias. A única diferença é que um tem um pouco mais de facilidade com o idioma, e o outro não. Vaclav sonha em ser um grande mágico um dia e com Lena compartilha esse e outros sonhos. Os dois vivem bem como amigos, e Lena passa boa parte do tempo da casa dos pais de Vaclav; e, já que a tia de Lena, que é com quem ela vive, não se importa muito com a garota, a mãe de Vaclav a tem como uma filha que nunca teve e, ao mesmo tempo em que tem muito afeto por ela, sente pena pela situação em que ela vive. Tudo vai bem, até mesmo as dificuldades com a língua americana, até que Lena passa a agir de modo estranho. Começa a faltar das aulas e não vai mais a casa de Vaclav. E ele não vê o porquê. De repente, não tem mais sinal dela. A mãe lhe omite alguma coisa sobre isso, mas ele nunca descobriu o paradeiro de Lena. Pelo menos não até sete anos depois quando a verdade vem à tona e tudo muda na vida deste jovem, - que toda noite desejava à Lena boa noite, na expectativa de que ela ficasse bem com este ato, não importava onde estivesse. O livro em si tem um poder controlador; além de ficarmos presos a este romance devido ao seu enredo - embora a narrativa possua uma ausência grande de pronomes, repetindo demasiadamente os nomes dos personagens - ainda somos arrebatados pelo desfecho apaixonante e inesperado e pelo que acontece com a personagem Lena. Outro ponto que merece ser citado é o fato de a escrita de Tanner ser não muito detalhista nem muito superficial, ela sabe onde se deter um pouco mais na história e onde passar mais rápido, o que nos aproxima ainda mais na minha opinião. Além disso, notamos um nítido crescimento dos personagens, obviamente, mas este crescimento não se limitou apenas nas circunstâncias de passagem de tempo, mas também no psicológico da história, que é uma coisa impressionante para quem lê. O envolvimento de quem tiver contato com esta obra será inegável. Em suma, espero que este romance de estreia de Haley Tanner não a faça parar por aí, pois ela conseguiu mostrar através de dois protagonistas a pureza dos sentimentos mas também a realidade de um mundo que não é todo colorido, que tem suas partes perto e branco. E, embora tendo sido levada a crer que este não foi um romance sobre o amor propriamente dito, devo admitir que aqui cheguei a conclusão de que ainda há devoção nas pessoas quando elas realmente se importam com aquilo, e este tipo de amor pode construir barreiras, mas barreiras que ele mesmo pode derrubar.