quinta-feira, 22 de maio de 2014

Resenha: "Limiar" - Jessica Warman


Título Original: Between
Nº de págs: 391
Autora: Jessica Warman
Editora: Galera Record
Limiar é o típico livro que começamos a ler de modo despretensioso para depois descobrirmos o quão significante aquela leitura acabou sendo. A sinopse do livro geralmente diz tudo que precisamos saber para querermos ler um livro ou não. Mas não é tão geralmente assim que a impressão passada por ela é o que fica após termos realmente lido o livro em si.
Embora tenham livros com enredos similares ao de Limiar, posso me permitir dizer que a história ainda é diferente dos jovem-adultos lançados no mercado de livros nos últimos tempos. Somos guiados pela narrativa em primeira pessoa feita pela personagem Liz, uma garota com condição melhor do que a de outras garotas de sua cidade, com uma vida aparentemente perfeita, um namorado à altura de suas pretensões e amigas igualmente superficiais. Acontece que nem tudo se pode prever o suficiente para que seja possível evitar. Não importa o tanto de dinheiro que você possui ou quantos amigos descolados andam ao seu redor, a morte sempre chega quando tem que chegar. E não foi diferente com Liz. Enquanto ela estava dando uma festa de aniversário no barco de seus pais, ela percebe algo diferente e um barulho irritante do lado de fora, na água. E quando percebe o que é, é tarde demais para que se arrependa de alguma coisa ou para que se lembre sequer o porquê de seu corpo estar flutuando no mar, no dia em que completaria 18 anos.

“Para as outras pessoas da minha idade, a morte não parece ser uma possibilidade. Adolescentes, como todo mundo sabe, tendem a acreditar que são imortais. Mas não sei se já me senti assim. Eu conheci bem a morte.”

Com esse dilema, a personagem se vê disposta a descobrir o que aconteceu –tanto quando nós leitores- já que ela não acredita que tenha sido apenas um acidente devido ao álcool ingerido por ela e por seus amigos; algo está errado. Sua companhia durante a busca por respostas será Alex, um jovem que nunca sequer se relacionou de nenhuma forma com Liz e que morreu um ano antes em um acidente de carro. A pergunta também passa a ser: Por que Alex?
Levada pela premissa instigante do livro, a leitura flui rápida e o final só torna-se claro nas últimas páginas, o que contraria outros livros que podemos supor o desfecho logo de cara. Continuamos atraídos desde a sinopse até o fim, não há uma quebra pela monotonia de alguns momentos ou pela passagem de tempo rápida entre os fatos. Jessica Warman uniu as pontas muito bem.
Ao contrario do que pensei antes da leitura, o livro não é completamente superficial e que objetiva apenas o entretenimento do leitor, com nada a ser passado. Muitas vezes somos atingidos por abordagens interessantes com as quais nos deparamos no convívio social e não nos damos conta, como o fato de alguns jovens se “camuflarem” por trás da popularidade, mas que no fundo existem circunstâncias que podem ter levado a isso.
Um coisa a ser mencionada é a reviravolta que Warman causou quanto aos personagens, enquanto pensávamos alguma coisa de um, outro que até então não tínhamos notado toma forma e se encaixa no foco da narrativa. E outros que haviam se camuflado por trás de Liz também têm seu lugar e acabam por terem certo realce em suas histórias. Mas, embora as pontas tenham se juntado no fim, nem todas fizeram muito sentido, achei que elas se desviaram sem ter uma completa ligação ou um propósito justificável.
Enfim, se você procura algo diferente e mas não quer ler um clássico ou coisa parecida, Limiar cumpre muito bem o papel de passatempo aguçando nossa curiosidade e ainda assim abordando pontos interessantes e reflexivos. E sim, está na lista dos que "Gostei".