segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Resenha: "Cemitérios de Dragões" - Raphael Draccon


Nem acredito que sou eu mesmo (Rodolfo) que estou fazendo uma resenha haha, mas vamos lá!
Cemitérios de Dragões é o primeiro volume da segunda trilogia escrita por Raphael Draccon, que carregará o nome de "Legado Ranger" - um título extremamente adequado e que adianta muito sobre o que se pode esperar do livro.
Não há relação (por mais que também carregue o termo "dragões" no nome) deste volume com a trilogia anterior, "Dragões de Éter". A história aqui é bem diferente e não lembra em nada. Eu li uma boa parte de "Caçadores de Bruxas" e pude perceber uma grande evolução na escrita de Draccon. O que já era bom ficou ainda melhor. Eu certamente terminarei o livro e voltarei para falar para vocês como foi e farei um traçado comparando as histórias. Por enquanto, foquemos Cemitérios de Dragões.

O livro é publicado pela Rocco, editora parceira da Tríplice, e inaugurou, juntamente com O Reino das Vozes que Não se Calam, escrito pela esposa de Draccon, Carolina Munhoz, uma nova subdivisão da editora, o selo Fantástica.
Confesso que estou muito entusiasmado para falar desse livro, pois ele se tornou um dos meus queridinhos, e meus amigos não aguentam mais me ouvir falando o quanto ele é bom. A minha explicação do porquê de eu amá-lo é simples: ele é um livro coerente. Completamente coerente. E isso não se aplica apenas ao rumo da história, mas também à toda a elaboração construtiva, que envolve uma história bem escrita e empolgante, um belo trabalho gráfico, e, principalmente, o público alvo. Cemitérios de Dragões não é um livro que eu recomendo para todas as pessoas. Crianças devem manter-se afastadas dele; é sem dúvida muito violento e com um vocabulário inadequado para esse tipo de leitor. Há muitos palavrões (que nos fazem rir muito) e cenas com muito sangue (que nos fazem vibrar). Não recomendo àqueles que são mais velhos ou não muito antenados, pois podem não se entusiasmar com lance ranger e ação a todo instante e também não saberão identificar as passagens com referências à cultura pop que são simplesmente fabulosas! Ainda não superei ter reconhecido tantas referências em um livro bom. Os autores costumam não fazê-las com tanta freqüência, mas Draccon fez isso com uma carga humorística tão alta e tão boa que os feelings eram incontáveis quando elas apareciam.

-Ah, claro! - debochou Romain. - E você precisa fazer um tumblr pro garoto se lembrar do pai, que por sinal iria nos entregar para a mãe dele, né?
-Avada Kedavra! Cruciatus! Honkizagazan! Incendio! Confringo! - gritou Daniel, em uma tentativa um tanto estranha de simular bruxaria.

Os personagens principais são cinco + 1, como em todas as histórias que envolvem Rangers, o que eu achei um clichê muito criativo, já que esse sexto personagem é de se esperar que apareça, mas não da forma como aconteceu. Ele é um personagem do qual já se aguardava algo em razão a seu histórico, mas não esperava que ele fosse lutar lado-a-lado com os rangers como foi.

Título: Cemitérios de Dragões
Autor: Raphael Draccon
N° de págs: 352
Editora: Fantástica

Derek é um líder nato, e desde o primeiro instante se torna um personagem admirável e honroso. Amber é encontrada em cativeiro e eu preferia tê-la mantido ali, ela tem uma personalidade forte e um gênio difícil; depois mostra-se muito digna de estar com os outros, é uma guerreira em todos os aspectos. Ashanti é uma personagem quase deificada na história. É impossível não se apaixonar por ela e torcer para que ela consiga tudo o que quer. Há um dom místico em suas habilidades marciais e uma relação entre ela e uma profecia em que o povo daquele mundo crê, gerando uma grande expectativa nossa para com a garota. Daniel e Romain são os mais engraçados e sarcásticos da narrativa. O primeiro é um hacker brasileiro envolvido em ações muito nobres e o segundo um francês com muito conhecimento irrelevante e inútil no mundo em que vivem, gerando nele uma insatisfação incurável das situações pelas quais passa nesse lugar. Os dois formam uma bela dupla cômico-dramática como bons amigos sabem fazer bem.
A história em si vai narrar as aventuras de todos os personagens sendo encontrados em uma nova dimensão selvagem e mística cercada de perigos e mistérios. Há um cemitério onde várias espécies humóides são escravizadas por demônios e homens lagartos a fim de extrair sangue mágico de dragões já há muito mortos para rituais de magia negra macabros. Esse cemitério é mantido por um demônio-rei e uma bruxa com propósitos cruéis que podem assustar a quem ler e que se relacionam com a profecia citada anteriormente. PS: imaginar um dragão zumbi foi uma coisa tão original e surpreendente que levantei a bati palmas pela ideia.
Do outro lado da história há uma raça boa e inteligentíssima que desenvolvem conhecimento e armas para destruir esses demônios. Contudo, são uma raça pacífica, e portanto dependentes de outra para porem seu plano em prática. Não se sabe quem ou o que trouxe os cinco humanos para essa dimensão, mas descobre-se que não foi por acaso. Além de terem uma nova chance de recomeçar, passando uma borracha nos erros do passado.
Em determinado momento os personagens vão se encontrando para a total alegria do leitor, e isso é incrível!
O livro todo tem um aspecto teatral, por se tratar de heróis e rangers, mas nunca vi um espetáculo tão bom em um livro. Raphael mais uma vez está de parabéns por isso. Ele soube descrever cenas de batalha com maestria, de forma que nenhum detalhe escapava, e a velocidade com que tudo acontecia era muito alta, criando uma vontade de virar a página e descobrir o que acontece logo seguida muito grande. O livro sem dúvida prende o leitor.
Eu achei que o desfecho seria comum e que não fugiria muito do que estou acostumado, mas não, as últimas páginas são surpreendentes, tão surpreendentes que quando acabou eu fiquei desolado pedindo por mais.
Cabe a nós agora esperar o segundo livro da trilogia, sem data prevista para lançamento, mas que já quero pra ontem.
Eu poderia escrever outro livro só pra falar o quanto esse é bom, mas você, leitor, deve ler imediatamente e contar para mim o que achou da história. Vou gostar de saber sua opinião.

Postar um comentário