quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Resenha: "O Chamado do Cuco" - Robert Galbraith

Robert Galbraith em sua poltrona cara
O Chamado do Cuco é o segundo livro pós Harry Potter escrito pela aclamada autora britânica Joanne Kathleen Rowling. Foi produzido sob o pseudônimo de Robert Galbraith e lançado em abril de 2013 na Inglaterra e em novembro do mesmo ano aqui no Brasil, pela editora Rocco.

O que dá base à história é o suposto assassinato de Lula Landry, uma supermodelo que morreu caindo do  seu apartamento no terceiro andar. A polícia londrina alega ser suicídio, mas não é nisso que todos acreditam. O irmão de Lula, John Bristow, contrata então um detetive particular, Cormoran Strike, para investigar o caso.

Título: O Chamado do Cuco
Autor: Robert Galbraith / JK Rowling
Nº de páginas: 447
Editora: Rocco

Cormoran não é um detetive comum; ele exerceu função por anos no exército, o que lhe garante vantagem tanto para técnicas em investigação quanto para contatos que o ajudam em seus casos. Contudo, por mais que a situação seja favorável, o momento não é. Strike se encontra em um caos financeiro e emocional: ele mantém apenas dois clientes não muito abastados e acaba de se separar de uma relação de longa data com Charlotte (uma mulherzinha que me deu nos nervos).

No decorrer da leitura, creio ter compreendido o motivo do pseudônimo de JK. Strike é o motivo. Ele não é um detetive como os que encontramos na maioria das histórias policiais; Strike não é surpreendente, cheio de truques debaixo da manga, imprevisível e inatingível. Pelo contrário, Strike é cheio de traumas e dramas pessoais que chegamos até a suspeitar se ele é, de fato, um detetive. Talvez JK tenha usado o pseudônimo pois o que se espera de J.K. Rowling é algo viral, uma história que a todos agradem logo de cara, e digo que esse não é o caso, O Chamado do Cuco não é tão devorável no seu início, a intensidade começa a subir depois de muitas páginas, e não, não acredito que isso seja um defeito, foi apenas uma estratégia de Jo para expor todo o momento de Strike e Robin, para que a partir disso, fosse possível investigar com mais clareza e vivacidade a história de Lula, onde o ritmo aumenta e a leitura flui rápida e maravilhosamente.

A Temporary Solutions é uma empresa que oferece funcionários temporários para quem a contrata. Robin, enviada por essa empresa, tem o dever de trabalhar com Strike por uma semana. Robin talvez seja a personagem mais estratégica no sentido aceitação do público. Pelos motivos de Strike não agradar a todos no princípio, JK criou uma personagem totalmente improvável, mas corajosa e determinada que apaixona a todos. Eu pelo menos me apaixonei por ela. É muito inteligente, rápida, e extremamente prática. Seu senso de necessidade é enorme e auxilia seu patrão temporário no que pode para ajuda-lo. Robin acaba de se noivar com Methew, um cara bom partido, mas que implica muito com as atitudes dela para com Cormoran. Na opinião dele, o  detetive não é tão detetive assim, e sua noiva está dando muito de si para um emprego que (na teoria) não vai durar muito tempo.

Confesso que esse não foi meu primeiro livro de investigação. Li, há alguns anos, "Um Estudo em Vermelho" e "O Cão dos Baskervilles", de Arthur Conan Doyle, onde Sherlock Holmes estrela. Contudo, isso foi há tantos anos que mal me lembrava de como livros assim funcionam. Devo dizer que O Chamado do Cuco foi um ótima experiência para um recomeço nesse gênero. O método de Strike se baseia na observação comportamental e um pouco de pesquisa na Wikipédia. Um contraste cômico, mas que dá muito certo. Já Robin é mestre no disfarce. Ela pensa rápido e finge ser qualquer pessoa quando precisa, além de conseguir informações valiosas muito facilmente. A dupla trabalhando junto garante dinamicidade à história, principalmente por serem tão diferentes um do outro, não só fisicamente (ele, enorme, e muitas vezes comparado com um urso, lento, sem uma perna; e ela pequena, linda e ágil), como também em personalidade, como já disse anteriormente. Contudo, nada supera os momentos em que Cormoran está descobrindo fatos importantes e juntando as peças do quebra-cabeças. Isso é realmente incrível.

A fama e suas consequências - principalmente as consequências - são profundamente exploradas no livro. Lula Landry era uma das pessoas mais famosas de sua geração, conhecida por inúmeros famosos e amiga de muitos deles. A maioria dos quais, entrevistados por Cormoran. Creio que JK tenha desejado mostrar que a fama não é tão linda quando aparenta, pelo menos não para quem a possui. A imprensa parece uma máquina de fofocas e polêmicas que pode ser usada por todos, tanto pessoas próximas de Lula, quando por desconhecidos, que podem tornar a vida dos famosos um completo inferno. Evan Duffield e Ciara Porter são exemplos vivos de como essa vida pode ser maluca. Outro bom exemplo é Tansy Bestigui, que no final do livro acabamos por sentir pena dela, por outros motivos que não posso dizer por que seria spoiler. Ler sobre tudo isso e saber sobre tantas coisas que eu nem imaginava que aconteciam e ver que há pessoas que vivem num mundo completamente diferente do nosso me deixou chocado. Vale muito a pena ler.

E para animar os fãs, a BBC confirmou uma série de TV para o Chamado do Cuco, que ainda não tem data de lançamento, mas garante que acontecerá ainda em 2015. Esse não é o primeiro trabalho de J.K. que vai ao ar, outra série está prevista para o primeiro semestre desse ano, mais precisamente em fevereiro. A adaptação será do romance The Casual Vacancy, o que está causando muito rebuliço entre os fãs da escritora, e para estourar o coração de todos e ficarmos ainda mais ansiosos para a estréia, Michael Gambon, nosso querido Dumbledore, estará no elenco! Já foram, inclusive, divulgadas algumas cenas em que não dá pra ter noção de nada, principalmente para quem não leu o livro, assim como eu;  mas tem o Michael ali.

Postar um comentário