quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Resenha: "A Mais Pura Verdade" - Dan Gemeinhart

    Recebemos os primeiros 6 capítulos de “A Mais Pura Verdade”, de Dan Gemeinhart, da Novo Conceito só para termos uma pequena ideia do que nos aguarda no dia do lançamento, dia 23 de Março e admito que não sei dizer exatamente se amei ou odiei ter esses seis capítulos. Foi como se seus pais te dessem o brinquedo que você sempre quis para em seguida tira-lo de você.


  Mark, um pequeno garoto resolve ir embora de sua cidade, levando apenas seu amigo inseparável, Beau, um cachorro com um olho de cada cor, sua câmera antiga (<3) e lembranças agradáveis na bagagem. Memórias felizes para Mark são raras, ele não é como as outras crianças, mas, na verdade, ele é ainda melhor. A maioria dos momentos bons que viveu foi com sua melhor amiga Jessie e, claro, Beau. Ele está decidido a escalar uma montanha, não vai ser tão fácil, mas para Mark nada é impossível.

“- É como se, sei lá, eu levasse um pedaço de vida comigo. Todas essas coisas acontecem, todos esses pequenos momentos passam por nós e vão embora. Então você vai embora. – Inspirei profundamente e expirei no vidro da janela. – Mas, quando você tira uma foto, aquele momento não passa. Você o prende. É seu. Você pode guardá-lo"

 



Título original:The Honest Truth
Autor: Dan Geminhart
Editora: Novo Conceito
Nº de págs: 224





    Fico mais impressionada toda vez que leio algum livro cujo personagem principal é uma criança. Embora sendo tão simples, a inocência sincera que elas possuem, como se as verdades do mundo não fossem nada mais que óbvias, nos fazem ter muito sobre o que pensar, e Mark simplesmente me encantou a partir da 5º página (só para não dizer que foi logo na sinopse). Em menos de 100 páginas eu sorri, quase chorei, e me apaixonei pela escrita que geralmente acompanha personagens infantis: frases curtas, capítulos breves e uma percepção de mundo muito rara, e tão bonita. Talvez pelo fato de Mark ser especial, mas ele diz e pensa coisas que nos fazem parar um minuto e pensar, de uma forma não ocorre muito frequentemente; “A Mais Pura Verdade” é daqueles que você as vezes lê e leva vários outros livros até você chegar em um que te cause o mesmo efeito novamente, e isso para mim é um indicativo muito explícito de que posso me dar ao luxo de classificá-lo como bom (e isso tudo em apenas 6 capítulos, preciso dizer mais alguma coisa?).
    Agora estou aqui apenas desejando que o dia 23 de Março não esteja muito longe, pois quero meu brinquedo de volta, urgente! rs

                                                                                                                                                        

    Voltei, e agora com o livro todo já lido e apenas posso complementar a impressão que tive ao ler só aqueles 6 capítulos. Não pude me controlar e li assim que chegou aqui pra gente e nossa, havia algum tempo que não lia um drama que me encantasse tanto. Dan Gemeinhart quebra seu coração em mil pedacinhos antes de consertá-lo de novo e eu simplesmente tive que dar umas pausas durante as últimas páginas pois era muito para suportar, e mesmo assim o autor me fez amar tudo sobre esse livro. Talvez tenha tido uma pequena ação de Mark que poderia ter sido repensada, porém eu relevei, levando em conta a situação da cena e toda a tensão que passamos até ali.
    Vocês já devem ter entendido que eu amei esse livro, né? E quando isso acontece quero que o mundo todo leia pra eu dizer: "Eu não disse?". Então é isso, gente, espero que vocês leiam também, até mais (;

"O mundo inteiro é uma tempestade, eu acho, e todos nós nos perdemos em algum momento. Vamos atrás de montanhas no meio das nuvens para que tudo pareça valer a pena. E, às vezes, nós as encontramos. E seguimos em frente "
Postar um comentário