segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Resenha: "Para Onde Ela Foi" - Gayle Forman

   
    Hoje a resenha é da sequência de “Seu Eu Ficar”, da Gayle Forman que já foi bem esperada após o lançamento do filme que atraiu muitos leitores e fãs da história de Mia Hall e Adam Wilde. Queria deixar claro que essa resenha possui spoilers, então se você ainda não leu o primeiro livro, confira a resenha aqui ou se você não liga, continue lendo (:
    “Para Onde Ela Foi” parte do ponto em que Mia decide viver mas não com Adam, cada um vai viver sua vida devido a circunstâncias que só nos serão contadas mais lá pra metade do livro. Hoje em dia é cada vez mais comum inverter o narrador de capítulo para capítulo ou de volume para volume, acontece que isso nem sempre funciona. O drama principal no romance de Gayle Forman era acerca da protagonista Mia, portanto quando acabei “Se Eu Ficar”, queria continuar com os pensamentos e escolhas dela, não acompanhar os relatos de coisas que aconteceram na banda de Adam quando ele ficou sem Mia, o que é excessivamente irritante, pois os capítulos se alternam em contar o presente e alguns fatos ocorridos durante os 3 anos em que eles estiveram longe um do outro, portanto, assim que você começa a aproveitar a leitura e ver o que está acontecendo no presente, no próximo capítulo Adam já começa de novo alguma lamentação ou história muito dispersa, e aí a leitura esfria novamente.

Título original: Where She Went
Autora: Gayle Forman
Editora: Novo Conceito
Nº de págs: 240
    






    Contudo, esses pontos foram os únicos que me atrapalharam um pouco, pois eu já não estava esperando grandes coisas da sequência, levando em conta que o primeiro já não foi tudo que eu queria que ele fosse. Ambos cumprem a tarefa de entreter como leituras fáceis e que não exigem muito pensamento, é um romance fofinho, mas nem tanto, e mesmo assim você ainda consegue se emocionar.

    Como o primeiro, esse eu também li em inglês e em português simultaneamente pois ainda tenho um vocabulário muito pequeno do inglês, mas, como no primeiro, também não tive grandes dificuldades na leitura, e na maior parte do tempo não tive que recorrer à tradução. Então eu indico para quem está começando a ler em inglês, como eu. 
Postar um comentário